quinta-feira, 23 de maio de 2013

ESTILHAÇOS

Este poema compõe o meu livro inédito, "Casa de Espelhos", vencedor do Prêmio Zélia Saldanha, realizado pela UESB.

O lançamento acontecerá em breve.


Estilhaços


deste lado do mundo
fenecemos de tão longe.
escorpiões destilam seu veneno

deste lado da rua
apodrecemos no pé
nem nosso gosto sabemos

deste lado de mim
os espelhos estão quebrados
nos estilhaços me vejo
                               pequeno



6 comentários:

  1. "deste lado de mim
    os espelhos estão quebrados
    nos estilhaços me vejo
    pequeno"
    Que lindo andre!

    ResponderExcluir
  2. Como toda obra de André: mais que perfeito!

    ResponderExcluir
  3. Massa demais ! (y)'

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito do seu "Estilhaços"!!!
    E te digo que tambem tenho um; mandarei para ti.
    Poemas homonimos!
    Gosto bastante da sua escrita.
    Abrassarinhos.

    ResponderExcluir
  5. Muuito Show
    "deste lado do mundo
    fenecemos de tão longe.
    escorpiões destilam seu veneno [...] "
    AMEI

    ResponderExcluir